cnpl

CNPL mobiliza entidades sindicais contra a defasagem de 83,12% da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física

A Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL) mobiliza as 28 federações e 500 sindicatos de profissionais liberais em todo o país contra a defasagem da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física. Desde 1996, a tabela está defasada em 83,12%. Os trabalhadores que ganham até R$ 3.456,92 por mês deveriam estar isentos do Imposto de Renda, em contrapartida, a cada ano, o contribuinte está pagando mais Imposto de Renda porque as correções não recompõem as perdas de duas décadas.

É de extrema urgência reajustar a tabela para que a defasagem não funcione como um mecanismo de injustiça tributária. Se a tabela fosse corrigida pelos índices de inflação acumulados, a faixa de isenção para o Imposto de Renda seria até R$ 3.460,50. Atualmente, estão isentos todos os contribuintes que possuem renda tributável mensal acima de R$ 1.903,98.

Além disso, o ônus de não corrigir a tabela sobrecarrega os contribuintes com menor rendimento salarial. Os contribuintes que têm rendimento tributável de R$ 4 mil são obrigados a um recolhimento mensal R$ 223,41 maior do que se a tabela fosse corrigida pela inflação, ou seja, um valor 547,84% acima do que seria correto. Já os contribuintes com renda mensal tributável de R$ 10 mil pagam 62,03% a mais do que deveriam.

A não correção da tabela do IR pela inflação anual impacta também nas deduções permitidas por lei, que não correspondem à realidade dos gastos necessários. O desconto permitido por dependente, por exemplo, atualmente é de R$ 189,59 por mês (R$ 2.275,08 por ano). Se fosse atualizado pela inflação anual, deveria estar em R$ 347,18 mensais (R$ 4.166,16 anuais), aponta o levantamento. A dedução permitida das despesas com educação, pela tabela válida para o ano de 2016, foi de R$ 3.561,60. Esse valor seria elevado para R$ 6.521,85, se fosse reposta a defasagem inflacionária até o final deste ano.

A defasagem da tabela tem repercussão sobre diversas faixas de contribuintes. Entre 1996 e 2016, a inflação acumulada de 283,87% foi mais que o dobro da correção promovida pelo governo federal na tabela (109,63%). Neste ano, a Receita Federal divulgou a tabela do Imposto de Renda com um aumento de 5%, metade da inflação registrada entre os anos de 2015 e 2016. (Com informações dos portais: Isto É dinheiro, Sindifisco Nacional, Receita Federal e Em.com Economia)

FONTE: http://www.cnpl.org.br/new/index.php/81-destaque/1131-cnpl-mobiliza-base-filiada-contra-a-defasagem-de-83-12-da-tabela-do-imposto-de-renda-da-pessoa-fisica

repudio

NOTA DE REPÚDIO – SINDECON/RN – CORECON/RN – SINDCONT/RN

NOTA DE REPUDIO

O Sindicato dos Economistas no Estado do Rio Grande do Norte, Sindicato dos Contadores do Rio Grande do Norte e Conselho Regional de Economia do Rio Grande do Norte, vem a sociedade se pronunciar sobre a posição do Governo do Estado de demitir funcionários não estáveis e aumentar salários de cargos comissionados.
Todos os norte-rio-grandenses, acompanham a deterioração fiscal do Estado, apesar de aumentos constantes de arrecadação própria, o que tem provocado desarranjo das politicas públicas estaduais, na área da saúde, educação, segurança, funcionalismo e investimento. A situação é crítica, e encontrar solução para tal é imprescindível, mas buscar a solução através da demissão de servidores públicos não estáveis não é adequada ao momento e sim a mais simples.
Necessário buscar conciliação que envolva todos os atores, de forma a trabalhar para formar um consenso e assim atingir o equilíbrio fiscal. Fazer os servidores pagarem a conta deste desequilíbrio, que eles não provocaram ao longo dos anos é no mínimo errônea.

Natal, 07 de março de 2017.
SINDECON/RN CORECON/RN SINDCONT/RN

 

WhatsApp Image 2017-02-24 at 09.05.32

O CORECON/RN E O SINDECON/RN, em parceria com o DEPEC/UFRN, participaram da aula inaugural do Curso de Economia

O CORECON/RN E O SINDECON/RN, em parceria com o DEPEC/UFRN, participaram da aula inaugural do Curso de Economia com a Palestra do professor Marcelo Dias Carcanholo, da Universidade Federal Fluminense (UFF), com o tema “Encruzilhado da Economia Brasileira”, ontem, 23/02/2017, no Auditório do NEPSA 1, do CCSA/UFRN. Na ocasião os representantes do CORECON/RN, Pres. Ricardo Valério e SINDECON/RN, Dir. Financeiro Robespierre do O’, falaram oara os alunos sobre a Profissão do Economista e os seus desafios.

 

WhatsApp Image 2017-02-23 at 17.24.09

SINDECONRN parabeniza o economista e servidor do TRT Gilsemberg Gurgel Pinheiro

O SINDECONRN parabeniza o economista e servidor do TRT Gilsemberg Gurgel Pinheiro que tomou posse como coordenador de execução financeira no Tribunal Regional do Trabalho da 21 região  nesta data.

 

 

WhatsApp Image 2017-01-26 at 11.24.50

O Conselho Regional de Economia-Corecon/RN e o Sindicato dos Economistas foram recebidos em audiência nesta terça( 24) no Tribunal de Justiça do RN

O Conselho Regional de Economia-Corecon/RN e o Sindicato dos Economistas foram recebidos em audiência nesta terça( 24) no Tribunal de Justiça do RN, Concedida pelo novo Presidente do TJ Desembargador Expedito Ferreira de Souza, onde na ocasião foram tratados diversas parceiras e acordos operacionais que os Economistas Potiguares poderão vim a desenvolver em relação às perícias Judiciais, RPV’s e na atualizações de processos de URV’s, entre outros serviços, que os economistas filiados as suas entidades de classe poderão está prestando com o apoio do CORECON e Sindecon. A
Parceira deve se estender também ao interior do Estado e possivelmente envolver os estudantes de economia da UFRN e UERN, notadamente atuando no interior do Estado onde as comarcas são mais desprovidas de auxiliares.
Na ocasião ficou sinalizado que os Economistas irão desenvolver também , trabalho voluntário de Educação Financeira para os servidores do TJ, com vistas a melhor prepará-los para os desafios de uma boa Administração dos orçamentos familiares e estimula-los para a realização de poupanças em previdências privadas complementares para que uma futura e tranquila aposentadoria dos servidores da casa. O Presidente Expedito Ferreira estava acompanhado na ocasião dos assessores da Presidência os Doutores Juizes auxiliares João Eduardo Ribeiro e Valentina Helena Damaceno e pelo Corecon estiveram presentes o Presidente Ricardo Valério Menezes e pelo Sindecon o seu Presidente Sérgio Aragão e diretor RobsonPierre.
As referidas audiências fazem partes dos planos de trabalhos das entidades dos Economistas em busca de estreitamento e amplic

WhatsApp Image 2017-01-25 at 12.03.23

Diretoria do SINDECON-RN e CORECON reune-se Chefe de Departamento do curso de Economia da UFRN Francisco Wellington

Diretoria do SINDECON-RN e CORECON reúne-se Chefe de Departamento do curso de Economia da UFRN Francisco Wellington, para conversa sobre estágio para estudante economia, assessoria financeira para os professores, curso de extensão, convênio.
Estavam presentes Presidente Sergio Aragão, Ricardo Valério, Diretores Flavio Kaue, Robespierre e a conselheira Suerda.

IMG_2656

Reunião realizada na sede do Tribunal Regional Federal, com o Juiz Federal Marcelo Bruno Diretor do Fórum

Reunião realizada no dia 12/01, na sete do Tribunal Regional Federal, com o Juiz Federal Marcelo Bruno Diretor do Fórum estavam presentes o Presidente do SINDECON-RN e Conselheiro Suplente do CORECON-RN Sergio Aragão, o Vice presidente do SINDECON-RN Airton Costa, o Diretor Financeiro Robespierre do O” e a Diretora Administrativa Maria Amelia.
Entre os assuntos tratados foram: A questão da pericia para o profissional de economia, estagio para estudante de economia e palestra sobre educação financeira.
O presidente do Sindicato e Conselheiro Suplente Sergio Aragão argumentou a necessidade de abertura, para o economistas a exemplo do trabalho que vem sendo realizado no Tribunal de Justiça do Estado do RN, onde os economistas estão trabalhando como peritos tendo realizado diversas pericias.
O Exmo Sr. Marcelo Bruno argumentou da necessidade de mais profissionais estarem disponíveis para realização de pericias se mostrando com muito interesse já que as varas federais necessitam de profissionais, acrescentou com a possibilidade de abertura de vagas para os estudantes de economia e que as palestra sobre educação financeira serão muito bem vindas para orientação dos servidores.
Aos economistas interessado em se inscrever na JUSTIÇA FEDERAL, para atuar como perito encaminho o site e o telefone de contato do responsável:
 
WhatsApp Image 2017-01-09 at 6.30.35 PM

O Presidente Sergio Aragão tomou posse como conselheiro no Conselho de Economia.

O Presidente Sergio Aragão tomou posse como conselheiro no Conselho de Economia.

Novos conselheiros da esquerda para direita: RAIMUNDO INÁCIO DA SILVA FILHO, Ricardo Valerio, LEOVIGILDO CAVALCANTI DE A. NETO, FRANCISCA SUERDA SOARES DE OLIVEIRA, Francisco de Assis, Marcos Frederico, Celso Arnaldo, HELDER CAVALCANTI VIEIRA Sergio Cunha de Aragão Mendes, Ivanaldo, Candido Gabriel.

 

robespierre-tv universitaria

Assista: Medida provisória autoriza lojas cobrarem mais caro por compras feitas no cartão de crédito

Entrevista com Diretor Financeiro do Sindicato dos Economistas do RN.

Uma medida que entregou em vigor semana passada vem causando muita dúvida e polêmica. É a permissão para os comerciantes venderem com preços diferenciados no cartão de crédito ou a vista. Uma prática já comum, mas até então ilegal.

 

 

WhatsApp Image 2016-12-02 at 4.53.57 PM

SINDECONRN participa de reunião com o Secretario geral da Assembleia Legislativa na sede CORECON-RN

Estiveram presente os seguintes economistas Francisco de Assis, Cândido Gabriel, Celso Arnaldo, Ricardo Valério, Sergio Aragão e Robespierre do O’.

Na reunião o Sr Augusto Viveiros mostrou os números da Assembleia e o trabalho que o presidente Ezequiel Ferreira vem desenvolvendo na atual crise que o estado vem atravessando.

 

 

WhatsApp Image 2016-11-30 at 3.17.19 PM

O economista e secretario de estado e dos recursos Hídricos Mairton recebeu o Título de cidadão norte riograndense na assembleia legislativa

Confiram as Fotos:

 

obra_de_saneamento_em_lagoa_nova_2

RN e mais 17 estados manifestam interesse em conceder saneamento à iniciativa privada

O Rio Grande do Norte e mais 17 estados manifestaram ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) interesse na concessão de serviços de água e esgoto à iniciativa privada e formalizaram a decisão de aderir ao Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do governo federal. A informação foi divulgada hoje (9) pelo superintendente da área de Desestatização do banco, Rodolfo Torres.

Além do RN os estados interessados em aderir ao PPI para saneamento são Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rondônia, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins.

O BNDES atuará como o escritório dos projetos dos governos estaduais, contratando consultorias para o diagnóstico em cada estado, estudos técnicos e a modelagem para cada caso.

O banco também poderá fazer a prospecção de investidores e a realização do leilão de concessão ou outra forma de parceria com a iniciativa privada. Nesta quarta-feira, o BNDES publicou o edital de pré-qualificação para a habilitação de consultores especializados em fazer os estudos técnicos para a estruturação dos projetos de saneamento.

Universalização

Torres disse que o objetivo é desenvolver projetos com a iniciativa privada para investimentos em abastecimento de água e de esgotamento sanitário, para universalizar esses serviços. Atualmente, segundo dados do Sistema de Informações sobre Saneamento (Snis), as companhias de saneamento nos 18 estados que manifestaram interesse no programa atendem a 90 milhões de pessoas. Nesses estados, cerca de 17 milhões de pessoas não são atendidas por serviços de abastecimento regular de água, 65 milhões não têm acesso a serviços de coleta de esgoto e 74,6 milhões não têm esgoto tratado.

O BNDES estima que os estudos técnicos sobre o assunto sejam realizados ao longo do primeiro trimestre de 2017, com o lançamento dos editais até o final do mesmo ano. Os leilões das primeiras concessões deverão ocorrer no primeiro trimestre de 2018.

Segundo Torres, não há relação direta entre a concessão do serviço de água e esgoto à iniciativa privada e uma eventual elevação na tarifa cobrada da população. “Não tem uma relação direta, muito pelo contrário. Hoje, como o serviço funciona no Brasil, o nível tarifário é muito diferente, então não há uma relação entre uma coisa e outra.”