WhatsApp Image 2019-02-28 at 07.23.45 (1)

SINDECON prestigia a posse da nova diretoria e conselheiros da JUCERN

O SINDECON  se fez presente a posse da nova diretoria e conselheiros da JUCERN que se realizou na última quarta-feira, dia 27 de fevereiro.

Na ocasião se fizeram presentes o nosso presidente Sérgio Aragão e nosso diretor administrativo, Robespierre do O’.

O SINDECON faz o mais sinceros votos de boa sorte a nova diretoria composta, tendo o Sr. Carlos Augusto de Paiva Maia como presidente, Daltro Paiva como novo vice-presidente, nosso vice-presidente do sindicato Cândido Gabriel, que tomou posse como conselheiro e Celso Arnaldo nosso fiscal que tomou posse como conselheiro suplente. Parabéns a todos pela representatividade da nossa categoria.WhatsApp Image 2019-02-28 at 07.23.45 WhatsApp Image 2019-02-28 at 07.23.45 (1) WhatsApp Image 2019-02-28 at 07.23.46 WhatsApp Image 2019-02-28 at 07.23.46 (1)

WhatsApp Image 2019-02-20 at 13.40.16

Em reunião com SENAC, SINDECON lança proposta de convênio

Por determinação do Presidente Sergio Aragão, o diretor Administrativo e financeiro do SINDECON- RN, participou da reunião com a Gerente de Relacionamento do Senac Teresa Keila para tratar da proposta de convênio entre as partes.

A proposta do Convênio com o SENAC será extensivo aos dependentes diretos. Neste o filiado terá acesso ao desconto a ser negociado nos cursos oferecidos.

O SINDECON poderá ainda propor cursos direcionado aos seus filiados, podendo este também oferecer cursos de capacitação a entidade de ensino, na qual o setor pedagógico irá avaliar a demanda, podendo o SENAC buscar nos quadros do SINDECON economistas capacitados a ministrar os cursos.

WhatsApp Image 2019-02-16 at 09.41.55

SINDECON/RN prestigia evento de reinauguração do Hotel Barreira Roxa

A convite da Fecomércio o Sindicato dos Economistas do RN (SINDECON/RN) esteve presente na reinauguração do Hotel Escola Barreira Roxa onde podemos comprovar um importante equipamento voltado ao fomento do turismo.

“Oportunamente estive com o diretor regional do Senac Sr. Ranieri Pimenta onde estamos concluindo as negociações para que nossos associados tenham desconto naquela instituição em cursos oferecidos pela mesma. Acredito que nos próximos dias estaremos assinando o convênio”, afirma nosso diretor financeiro Robespierre d “O”.

SINDECONRN

SINDECONRN parabeniza novo Presidente e Vice-Presidente do Conselho Deliberativo do SEBRAE-RN

O SINDECON-RN parabeniza o novo Presidente e Vice do Conselho do Sebrae, Marcelo Queiroz e Itamar Maciel, que tomaram posse administrativamente, e o economista Zeca Melo, como superintendente e demais diretores do SEBRAE, em um momento de grande dificuldade, para o empresariado brasileiro e principalmente potiguar.
Os números são preocupantes o país hoje conta com 13 milhões de desempregados, 62 milhões de brasileiros com restrições cadastrais, o que exigirá do microempresário grande capacidade administrativa, mercadológica e empreendedora e o SEBRAE com os seus quadros de colaboradores e consultores tem condições de contribuir, para viabilizar a retomada do crescimento econômico de nosso Estado e do País.

Diretoria do SINDECON-RN

SINDECONRN

SINDECON-RN felicita novo Presidente do Conselho Deliberativo do SEBRAE-RN

O Sindicato dos Economistas no Estado do Rio Grande do Norte, felicita o Presidente da FECOMERCIO, Marcelo Queiroz pela eleição de Presidente do Conselho Deliberativo do SEBRAE do Rio Grande do Norte, nesta sexta feira dia 30/11/2018.

Neste momento de grande desafio em que atravessa nosso Rio Grande do Norte, necessita de pessoas de visão empreendedora e administrativa, para contribuir na solução da grave crise fiscal. O Conselho Deliberativo do SEBRAE, onde se reúne as entidades representativas do empresariado estadual possui papel fundamental na busca da solução para o equilíbrio financeiro do RN e o SINDECON-RN, felicita o novo Presidente e se coloca ao lado para contribuir na busca de soluções.

Natal, 30 de novembro de 2018.
Diretoria do SINDECON-RN

SINDECONRN

SINDECON-RN felicita novo Presidente da OAB-RN

O Sindicato dos Economistas no Estado do Rio Grande do Norte, felicita o ADVOGADO e ECONOMISTA Aldo Medeiros Lima Filho e todos os membros da chapa, pela eleição da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção do Rio Grande do Norte, no último dia 28/11/2018.

Aproveitamos para desejar êxito na administração nesta importante missão no desempenho do plano de trabalho e nos colocamos a disposição para ajudar na busca do desenvolvimento econômico e justiça social, em nosso estado.

Natal, 30 de novembro de 2018.
Diretoria do SINDECON-RN

SIND-LOGOWHATS

O SINDECONRN parabeniza a Governadora eleita Fátima Bezerra

O Sindicato dos Economistas do Rio Grande do Norte parabeniza  a Governadora eleita Fátima Bezerra e deseja sucesso na condução dos destinos do Rio Grande do Norte pelo próximos quatro anos.

Toda nossa equipe está a disposição para cooperar e auxiliar com foco nos projetos em andamento. Para que o Estado não perca sequer um trabalho nas centenas de obras e ações que acontecem, nosso pensamento é de colaborar e torcer para o êxito da nova gestão que se inicia em janeiro de 2019.

SÉRGIO CUNHA DE ARAGÃO MENDES

Presidente do SINDECONRN

Presidente

Convite SINDECON – Inauguração da Sala do Economista

O SINDECON-RN – Sindicato dos Economistas do Estado do Rio Grande do Norte, através do seu Presidente Sérgio Aragão, em parceria com ACRN- Associação Comercial e Empresarial do Rio Grande do Norte, irá inaugurar no próximo dia 16 de outubro às 16:30 a SALA DO ECONOMISTA.

O objetivo do projeto desenvolvido em parceria com a ACRN será implantar um programa de atendimento aos micros, pequenos e médios empresários que demandam apoio financeiro para modernização, ampliação das atividades produtivas, na região rural e urbana do Estado do Rio Grande do Norte e assim estimular a geração de emprego, renda e desenvolvimento regional nas diversas áreas da atividade econômica.

A sala funcionará na sede da ACRN, no bairro da Ribeira, Natal/RN, contando sempre com a orientação de economistas, para oferecer aos empresários ou colaboradores equações e soluções de problemas.

Assim, convidamos a todos os economistas filiados ao SINDECON-RN e CORECON-RN, a trabalharem proativamente neste projeto, de forma a contribuir para o crescimento de nosso Estado.

WhatsApp Image 2018-09-26 at 12.35.43

Projeto Justiça na Praça

O SINDICATO teve a honra de receber o convite da Prefeitura Municipal de Nísia Floresta – Rn, através da Secretaria Municipal de Tributação, Indústria e Comércio para participar do Projeto JUSTIÇA NA PRAÇA, o qual será realizado no dia 25 de outubro de 2018, às 08:00 horas, no centro da cidade .

O projeto supracitado tem o objetivo de conscientizar e mobilizar a população a respeito dos problemas econômicos e financeiros, com ênfase na prevenção e orientação na direção de um equilíbrio na renda familiar. Dentro desse trabalho serão colhidas informações que possam gerar diretrizes que auxiliem em estratégias de aperfeiçoamento da estrutura já existente na “rede de proteção” dos municípios.

Esperamos gerar contribuições aos munícipes através de dicas e estratégias que permitam a tomada de decisões mais racionais, para que não venham a ter uma “vida financeira em desequilíbrio”, possibilitando uma melhor condição de vida.

 

LANÇAMENTO - CÂMARA DE MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM

Câmara Brasileira de Mediação e Arbitragem Empresarial é lançada no RN

O Rio Grande do Norte agora tem uma Câmara Brasileira de Mediação e Arbitragem Empresarial, lançada na quinta-feira (30), na Associação Comercial do Estado. A iniciativa é da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil, em parceria com instituições e entidades estaduais para disseminar o objetivo da Câmara de desafogar o judiciário.

O coordenador da Câmara Brasileira de Mediação e Arbitragem Empresarial (CBMAE), Eduardo Vieira, comentou que atualmente tramitam 110 milhões de processos judiciais em todo o país, que em muitos casos poderiam ser resolvidos com a mediação ou então, arbitragem. Com a atuação da Câmara, os processos que serão geridos por ela terão um quadro de profissionais de mediadores e árbitros para resolverem os processos de diversas naturezas de maneira mais célere e eficiente.

“Quando passam pela Mediação, questões empresariais têm uma média de 40 dias de tramitação e um índice de 80% de resolução. Na Arbitragem, por ser um caso mais completo, a resolução é de 14 meses e não cabe recurso. A resolução é imediata e definitiva”, declarou Vieira.

Em 2017, 580 pessoas foram capacitadas pela CBMAE em todo o Brasil. Foram 25.277 processos resolvidos pela mediação, que geraram R$ 40.283 milhões, e 23 pela arbitragem, com o valor gerado de R$ 418.600 milhões.

No RN, a Câmara será coordenada pelo empresário Daltro Paiva, que também é diretor da Fecomércio RN, e que explicou que o empresário, como os outros cidadãos, sofre com a demora do judiciário em processos que poderiam ser resolvidos com mais tranquilidade, gerando assim uma economia e uma celeridade processual. “O judiciário incentiva a criação das Câmara como a nossa”, completou.

O presidente da Associação Comercial do RN e vice-presidente da Fecomércio RN, Itamar Manso Maciel, afirmou que as câmaras são necessidades do mundo contemporânea e o momento é propicio, já que o judiciário está assoberbado. Um grupo de estudante de Direito da UNI-RN reforçou o discurso de Maciel que as Câmara são uma realidade que ainda está se consolidando, mas com grande papel de auxiliar o mercado, solucionando o problema da melhor forma.

Fonte: FECOMERCIO

http://fecomerciorn.com.br/noticias/camara-brasileira-de-mediacao-e-arbitragem-empresarial-e-lancada-no-rn/

FOTO CORECON

CONVITE CONVOCAÇÃO REUNIÃO PERÍCIAS JUDICIAIS.

O Conselho Regional de Economia/RN, convida todos os Economistas Peritos Judiciais e interessados a se tornarem peritos, para reunião em nosso auditório, para avaliação e discursão, de como poderá passar a funcionar o “NÚCLEO DE PERÍCIAS E CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL “, instituído em todo Brasil, pelo COFECON e pelo CORECON/RN.

Desejamos compartilhar e discutir de forma muito equilibrada e democrática com os economistas peritos judiciais, o melhor modelo de certificação do exercício dos trabalhos de perícias judiciais, como ocorre normalmente nas categorias profissionais, tal qual já foi criado com os contadores via o CRC, para valorizar e subsidiar os nossos peritos, via a normatização para a certificação profissional.

Entre outros temas desejamos ouvir e propor aos senhores, os melhores períodos para realização de cursos de atualização, palestras e da ativação salutar Grupo de Estudos, que funcionou por meses, aqui mesmo no Corecon/RN numa iniciativa com a participação do Sindicato e dos Economistas de forma muito positiva, e que estabeleceu diversos padrões de controle de qualidade, gerando  frutos,  como foi o alcance de padronização dos procedimentos periciais, elogiados e muito bem repercutidos pelos os doutores Juízes das diversas varas do TJRN.

Desejamos ainda, estabelecer o “PLANTÃO PERMANENTE DE PERÍCIAS JUDICAIS E EXTRAJUDICIAIS, e para tanto convidamos o Economista Candido Gabriel, notório conhecedor e estudioso, e que inclusive já passou por treinamento do COFECON, que foi nomeado por portaria como Coordenador do Núcleo de Periciais do Corecon/RN, tendo em vista a reativação do núcleo de estudos e acompanhamento do exercício profissional e certificação de peritos judiciais e extrajudiciais.

Convidamos igualmente com satisfação, o Sindicato dos Economistas e a Cooperativa dos Economistas, que se unam a este esforço coletivo, que tem como objetivo maior a valorização e ampliação do mercado para as perícias judiciais e extrajudiciais, tendo em vista a avançarmos também em busca das perícias judiciais no TRT e na justiça Federal, muito em breve.

Ricardo Valério Costa Menezes
Presidente do Corecon/RN

 

Cândido Gabriel de Araújo
Coordenador Núcleo Perícias do Corecon/RN

 

Fonte: http://www.corecon-rn.org.br

http://www.corecon-rn.org.br/2018/08/24/convite-convocacao-reuniao-pericias-judiciais/

FOTO G1

Levantamento traz as 17 profissões mais demandadas no 1º semestre

Áreas mais demandadas são de planejamento financeiro, inovação e transformação digital, em atividades estratégicas de recursos humanos e da área comercial. A remuneração pode chegar a R$ 80 mil.

Levantamento da consultoria global de recrutamento especializado Michael Page mostra que os cargos mais procurados em posições de média e alta gerência no 1º semestre do ano foram das áreas de planejamento financeiro, inovação e transformação digital, em atividades estratégicas de recursos humanos e da área comercial. A remuneração pode chegar a R$ 80 mil.

Entre as características mais buscadas pelas empresas estão habilidades que favorecem os negócios no ambiente digital, capacidade de gestão de projetos, gosto pelo planejamento financeiro e orçamentário e boa desenvoltura em relacionamentos.

De acordo com Ricardo Basaglia, diretor-executivo da Michael Page, parte do PageGroup Brasil, o mapa corporativo do Brasil, que inclui eixo Rio-São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e parte do Nordeste, está sendo impactado positivamente pela forte transformação digital de todos os setores da economia, e profissionais da linha de frente desse movimento estão em alta.

Os departamentos de RH estão novamente aquecidos, tanto pelas razões estratégicas de contratação de pessoas, quanto para acolher a expansão de outras áreas. E mais dois setores tiveram forte expansão neste primeiro semestre, segundo ele: os cargos ligados à gestão financeira das companhias e algumas posições da área comercial.

“Quando o mercado volta a crescer, é natural que funções de finanças, recursos humanos e vendas liderem o processo”, avalia.

Veja abaixo os cargos mais demandados no primeiro semestre:

Supervisor de TI

  • O que faz: garante os bom funcionamento dos equipamentos e busca formas de usar a tecnologia para impactar positivamente as áreas e o resultado como um todo.
  • Perfil: profissionais de TI precisam cada vez mais entender sobre o negócio da empresa, participar e conhecer o planejamento das áreas.
  • Remuneração: R$ 9 mil a R$ 11 mil
  • Motivo para alta: demanda por profissionais multitarefas, com alto poder de comunicação e influência no ambiente corporativo.

Coordenador de FP&A (Planejamento e Análise Financeira)

  • O que faz: maior exigência é a alta capacidade de relacionamento interpessoal para se conectar a diferentes áreas da empresa, além de boa comunicação e um segundo ou terceiro idioma. É tipicamente o backup (reserva de segurança) direto do controller.
  • Perfil: ser capaz de analisar o resultado da empresa e propor melhorias baseadas em cenários financeiros são os maiores desafios da posição.
  • Remuneração: R$ 10 mil a R$ 15 mil
  • Motivo para alta: transações dentro do universo de finanças sofrem grande impacto durante a crise e ainda não viram o volume de posições ser retomado. Porém, áreas estratégicas são atualmente uma necessidade crítica dentro das empresas.

Coordenador de compras

  • O que faz: responsável pelo planejamento e negociação de insumos comprados por empresas ou indústrias.
  • Perfil: hoje precisam ser mais engajados nos negócios da empresa e são os principais agentes na redução de custo, tema central nas companhias.
  • Remuneração: R$ 8 mil a R$ 11 mil
  • Motivo para alta: as empresas buscaram reforçar seus times de compras tentando melhores negociações, mais controles no processo e uma gestão estratégica dos investimentos.

Coordenador/ especialista de M&A – fusões e aquisições nos mercados de energia, saúde, imobiliário

  • O que faz: em épocas de baixa de mercado, oportunidades de compra e venda se esfriam, porém, em momentos de retomada e confiança, essas oportunidades crescem muito.
  • Perfil: precisa ser muito capaz e possuir grande profundidade técnica, ter números e conhecimento de mercado na ponta da língua e uma visão de negócios acima da média.
  • Remuneração: R$ 10 mil a R$ 15 mil
  • Motivo para alta: profissionais que são competentes para analisar, avaliar e efetivamente conduzir processos de M&A são bem requisitados por segmentos que estão aquecidos.

Coordenador ou gerente de transformação digital

  • O que faz: colabora para a transformação digital na empresa instaurando um marketing voltado para desempenho e resultados, com foco em mídias online.
  • Perfil: profissionais não necessariamente com formação em marketing. O mais importante é que tenham habilidades em exatas e boa capacidade para gerenciar o ROI do departamento.
  • Remuneração: R$ 12 mil a R$ 18 mil
  • Motivo para alta: empresas de todos os setores da economia estão em processo de transformação digital, na maior parte dos casos, com foco na experiência do usuário. Esse profissional passa a ser essencial nessa fase de mudança. E deverá permanecer em alta até a consolidação desse processo.

Gerente de vendas canal indireto (segmento: bens de consumo)

  • O que faz: responsável pelos resultados dos distribuidores e sua força de vendas, e tem o desafio de motivar, treinar e gerenciar indiretamente a força de vendas dos distribuidores e/ou atacados.
  • Perfil: capaz de influenciar e convencer a força de vendas, com foco em priorizar a linha de produtos da empresa e garantir que os times atuem de forma estratégica no ponto de venda. Importante: devido à extensão do território nacional e alto número de pequenos varejos espalhados no país, uma das poucas soluções para garantir a presença nacional é a parceria com esses distribuidores.
  • Remuneração: R$ 15 mil a R$ 25 mil
  • Motivo para alta: as empresas de consumo estão demandando profissionais mais qualificados para atender esse canal, devido à complexidade das negociações com empresários que muitas vezes comandam distribuidoras com porte e faturamento superior as próprias indústrias.

Gerente de vendas – segmento energia

  • O que faz: responsável por identificar as oportunidades de negócio com geração, distribuição ou transmissão de energia.
  • Perfil: capacidade de planejar, treinar, avalia e motivar o time de vendas.
  • É uma posição vital para a sobrevivência e o crescimento da empresa.
  • Remuneração: R$ 18 mil a R$ 25 mil
  • Motivo para alta: o mercado de energia está cada vez mais competitivo, por isso, várias empresas do setor estão se movimentando para aproveitar essa oportunidade. Há posições dentro do segmento do mercado livre de energia, fabricantes de equipamentos e também as empresas EPCistas desenvolvendo soluções de engenharia para geração, distribuição e transmissão de energia.

Gerente de desenvolvimento de novos negócios (logística)

  • O que faz: atua com o desenvolvimento de negócios multimodais (articulação entre vários canais de transporte).
  • Perfil: neste momento o setor precisa de profissionais com experiência em desenvolver negócios logísticos em multimercados, orientados para aumentar o número de clientes e elevar a margem de lucro das companhias.
  • Remuneração: R$ 15 mil a R$ 25 mil
  • Motivo para alta: os operadores logísticos sofreram com a crise desde o ano passado, pois as grandes contas diminuíram o volume ou prorrogaram o prazo de pagamento. Por conta desse cenário, as empresas diversificaram suas áreas de atuação e atacaram os clientes de médio porte oferecendo soluções customizadas.

Gerente de canais (tecnologia)

  • O que faz: qualifica, treina, desenvolve e apoia os parceiros de negócios para atendimento aos clientes na região.
  • Perfil: capacidade de gerar expansão comercial, criar estratégias e políticas comerciais para canais de vendas de serviços. É importante prever plataformas de ofertas e plataformas digitais.
  • Remuneração: R$ 12 mil a R$ 18 mil
  • Motivo para alta: desde o ano passado aumentou significativamente o número de empresas que vieram para o Brasil com a necessidade de atuar por meio de canais e outras com a exigência de mudar a operação do país e, assim, começar a atuar em formato de parceria.

Gerente de assuntos regulatórios

  • O que faz: entre outras demandas, cumprir os requisitos formulados pela Anvisa para os processos de registro, reunindo a documentação necessária. É fundamental informar a empresa sobre a publicação de qualquer registro, renovação ou alteração. Terá de apoiar outras áreas da empresa em questões regulatórias.
  • Perfil: farmacêuticos e químicos que optaram por uma carreira corporativa e técnica.
  • Remuneração: R$ 16 mil a R$ 22 mil
  • Motivo para alta: as empresas estão em fase de lançamentos de produtos e renovação de registros. Estão lidando com muitas cobranças das áreas técnicas e regulatórias.

Gerente de operação de franquias

  • O que faz: gerencia o grupo de franquias trazendo processos de gestão e acompanhamento de resultados onde busca-se a coerência no modelo de operação.
  • Perfil: profissionais com experiência em franquias com capacidade de gerenciar grandes times com significativo volume de informações.
  • Remuneração: R$ 15 mil a R$ 25 mil
  • Motivo para alta: muitas empresas expandiram o número de franqueados nos anos anteriores e agora precisam manter o ritmo da operação.

Gerente de crédito

  • O que faz: é responsável pelos pilares de modelagem, cobrança e políticas internas. Desenvolve e gerencia as estratégias dos produtos de crédito em linha com as diretrizes da instituição financeira, sempre buscando mitigar riscos de mercado, liquidez e operacional.
  • Perfil: profissionais com background voltado em instituições financeiras, com perfil analítico e de execução.
  • Remuneração: R$ 16 mil a R$ 20 mil (considerando uma reunião mensal), dependendo do porte da empresa.
  • Motivo para alta: com a crise e altos índices de inadimplência no mercado, as instituições financeiras estão tendo que redefinir suas políticas e estratégias de crédito procurando mitigar riscos e melhores práticas de mercado.

Gerente de planejamento financeiro

  • O que faz: é responsável por consolidar resultados corporativos, elaborar orçamento e previsão de vendas, fazendo interpretações e relatórios sobre variações e atingimento de metas para a diretoria ou matriz.
  • Perfil: geralmente mais sofisticados, com conhecimento fluente de outros idiomas como inglês e espanhol, além de boa formação acadêmica. Do ponto de vista comportamental, são profissionais que complementam o perfil analítico tradicional de finanças, com competências de influência, boa comunicação e relacionamento interpessoal.
  • Remuneração: R$ 15 mil a R$ 35 mil
  • Motivo para alta: após um período de crise, as empresas concentraram-se na organização de processos, melhoria do compliance e redução de custos. Neste ano, as companhias voltaram a pensar em seus objetivos de médio prazo, fazendo análises de novos produtos e serviços a serem lançados nos próximos anos.

Head de recursos humanos (diretor/gerente)

  • O que faz: primeira pessoa de RH, responsável pela implantação da área, principalmente Talent Management. Definição de cultura e valores e rápido retorno ao negócio.
  • Perfil: mentalidade de business partner e perfil de análise. Experiência em empresas com alta maturidade de RH e vivência em estruturação de produtos.
  • Remuneração: R$ 20 mil a R$ 30 mil
  • Motivo para alta: quem puxou o crescimento dessa posição foram as startups, com o aporte de investidores.

Controller

  • O que faz: responsável pelos controles financeiros e relatórios da companhia, garantindo que os processos das áreas envolvidas estejam alinhados e funcionando da melhor forma.
  • Perfil: as atividades variam muito entre empresas e, geralmente, envolvem rotinas voltadas às áreas de contabilidade, controladoria, planejamento financeiro e acompanhamento de processos internos.
  • Perfil: normalmente profissionais que tenham iniciado sua carreira em posições contábeis ou de controladoria. Apresentam perfis técnicos e bastante analíticos.
  • Remuneração: R$ 15 mil a R$ 35 mil
  • Motivo para alta: empresas que enfrentaram a necessidade de diminuir cargos importantes durante a crise dos últimos anos vêm apresentando um crescimento importante, aumentando a necessidade de buscar profissionais sêniores e com visão mais abrangente.

CFO – diretor de finanças

  • O que faz: responsável por gerenciar as operações financeiras e mitigar os riscos do negócio, dando suporte direto no desenvolvimento de estratégias para a empresa e contribuindo na tomada de decisões. Normalmente, as áreas de controladoria, contabilidade, planejamento financeiro, tesouraria e auditoria ficam sob sua gestão.
  • Perfil: profissionais que já tenham tido experiência sólida em alguma área de finanças, como tesouraria ou planejamento financeiro, e que ao longo de sua carreira foi agregando mais funções ao cargo. O profissional costuma chegar à cadeira de diretoria por ter uma visão ampla e estratégica do negócio, bom relacionamento interpessoal, além de boa formação e conhecimento de idiomas.
  • Remuneração: R$ 20 mil a R$ 80 mil
  • Motivo para alta: ao longo dos últimos 10 anos o perfil demandado do CFO teve modificações, onde as empresas passaram a demandar um profissional que tenha background sólido em controles e processos, por exemplo. Com a retomada de mercado, entende-se que o CFO com visão mais estratégica e voltado ao negócio também volte a ser requisitado.

Sócio de contencioso cível – direito

  • O que faz: coordena equipes de advogados processualistas e atua com profundo conhecimento técnico na esfera cível. Além disso, normalmente, é responsável por captar clientes e manter a relação próxima. Muitas vezes também deve cuidar de atividades administrativas do escritório.
  • Perfil: empresas buscam profissionais de perfil sênior, tanto com experiência técnica de longo período como com excelente leitura de mercado e relação com clientes e profissionais de sua área. É uma posição que exige alta influência.
  • Remuneração: R$ 20 mil a R$ 50 mil
  • Motivo para alta: em momentos de crise e de baixa circulação de dinheiro, a tendência é que os conflitos e as disputas aumentem, o que gera também mais processos. E como ainda se vive um momento de instabilidade econômica e política, a posição está em alta.

Fonte: g1.globo.com

https://g1.globo.com/economia/concursos-e-emprego/noticia/2018/08/24/levantamento-traz-as-17-profissoes-mais-demandadas-no-1o-semestre.ghtml